TJD-RJ pune Cabofriense após invasão a vestiário da Portuguesa: “Foi muito absurdo”

O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) do Rio de Janeiro agiu rápido e puniu a Cabofriense com uma medida liminar pelas confusões causadas após a derrota para a Portuguesa no último sábado, dia 07, pela Taça Rio.

Em documento assinado por Marcelo Jucá, presidente da entidade, o TJD decidiu por interditar o estádio Alair Corrêa, palco dos tumultos, e ainda impôs outras punições à Cabofriense. São elas: 

  • Perda imediata de mandos de campo no Carioca
  • Proibição de sua torcida frequentar estádios no torneio
  • Retenção de valores dos direitos de transmissão pagos

“Hoje a Cabofriense está proibida de mandar campo, levar torcida nos estádios e está com a cota de TV totalmente bloqueada até que se apure os danos materiais sofridos pela Portuguesa. O que houve no sábado foi muito absurdo”, disse Marcelo Jucá.

Entenda o que aconteceu em Cabo Frio

A Portuguesa venceu a Cabofriense por 4 a 1, pela segunda rodada da Taça Rio. Após o jogo, segundo nota oficial divulgada pela Lusa, torcedores do time da Região dos Lagos do Rio invadiram o vestiário da equipe e agrediram membros do clube da capital do estado. O ônibus da delegação também foi apedrejado.

A nota da Portuguesa

“Atenção, o vestiário da Portuguesa, após a vitória contra o Cabofriense, foi invadido por torcedores da equipe mandante. Membros da comissão técnica da Portuguesa foram agredidos e o ônibus da equipe todo depredado. Repudiamos essa atitude covarde.

A Associação Atlética Portuguesa foi desrespeitada e pede atenção das autoridades para este absurdo que está ocorrendo em Cabo Frio”

A Cabofriense também se manifestou. Alegou que “um membro da delegação do clube visitante sacou uma arma de fogo, o que ocasionou uma grande correia e deu início a uma confusão generalizada”. 

A nota da Cabofriense

“A associação Desportiva Cabofriense repudia toda e qualquer forma de violência e lamenta os fatos ocorridos ao final da partida deste sábado pelo Campeonato Carioca.

Na intenção de dispersar os torcedores, um membro da delegação do clube visitante sacou uma arma de fogo, o que ocasionou uma grande correia e deu início a uma confusão generalizada.

Vale ressaltar, que como mandante da partida, a Cabofriense cumpriu com todas as normas previstas, contando inclusive com o apoio da Polícia Militar durante todo o evento esportivo”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here