Prefeito de Búzios: “Vereadores precisam participar mais e eu acho que cometi umas falhas nesse sentido”

Dr. André Granado

Agora eles vão estar mais próximos para atender as demandas da população

O Jornal de Sábado conversou com o prefeito de Armação dos Búzios, Dr. André Granado, para saber quais as suas expectativas para a administração da Prefeitura Municipal neste ano. Dr. André, que está em seu segundo mandado, falou também sobre as obras na cidade, sua relação com os vereadores e economia pública.
Confira a entrevista completa:

JS – Como tem sido esse início do ano de 2018?
AG- É um ano que começa com perspectivas de melhoras. Com o país se estabilizando, apesar de todas essas situações políticas que vêm acontecendo, a economia vem se consolidando, já houve um crescimento. Os royalties do petróleo têm se recuperado, estamos quase chegando aos índices de 2010/2011/2012, com isso, vamos poder estar normalizando os nossos serviços, que foram reduzidos por essa crise que se abateu. Lembrando que optamos por manter os nossos equipamentos, as nossas escolas, postos de saúde, manter os salários dos nossos funcionários em dia. Então, a gente começa o ano de 2018 com perspectivas e projeções positivas, depois de três anos de cenário negativo. Eu acredito que 2018 é o começo do fim da crise. Se Deus quiser, iremos realizar ainda mais projetos para melhorar a estrutura da cidade, levar mais conforto para a população. Já possuímos uma projeção de mais de R$ 15 milhões em obras, como, por exemplo, estrada José Bento Ribeiro Dantas, escola de Cem Braças, Cantinho do Céu, em José Gonçalves, entre outras.

 

“Se Deus quiser, iremos realizar ainda mais projetos para melhorar a estrutura da cidade”

 

JS – Em uma entrevista passada, o senhor disse que a sua preocupação era saber como equilibrar as contas da prefeitura no período de crise. O senhor conseguiu isso?
AG- Esse é um malabarismo, já que para não perder serviços e eficiência, temos, ao mesmo tempo, que cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, até porque a presidente do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro já declarou que quem muda a LRF é em Brasília, que aqui ela quer que a lei seja cumprida. Então, nós, os prefeitos, temos que cumprir limites de gastos com folha de pagamento, com pessoal. Então, estamos buscando cumprir a legislação com muita dificuldade, muita interferência, como, por exemplo, procuramos adequar na Educação alguns serviços para que eles fossem otimizados. Estamos conseguindo atingir a nossa meta, que é adequar de acordo com a nossa realidade atual.

JS – Observamos que o senhor teve algumas dificuldades com a Câmara, mas em 2018 as contas foram aprovadas. É uma ‘lua de mel’ entre o Legislativo e Executivo?
AG- Com certeza. Isso é muito importante e sempre falei isso, que quando o Executivo e Legislativo trabalham em sinergismo, não em submissão, mas potencializando as forças, experiências, quem ganha com isso é a população. Ao contrário, quando eles se desentendem , existem diferenças que não são importantes, não são para a melhoria, a população perde. O momento está positivo. Todo mundo amadureceu, eu amadureci, a gente tem conversado mais. Acho que eles têm o ponto de vista deles e tem que ser respeitado. Eles precisam participar mais e eu acho que cometi umas falhas nesse sentido. Agora, pelo menos de 15 em 15 dias, vamos estar nos reunindo e uma vez por semana com líder de governo. Então, vamos estar mais próximos. Os vereadores convivem no dia a dia com a população, eles são muito cobrados também, ou seja, estaremos mais próximos para que possamos estar atendendo as demandas da população. Para que eles tenham tranquilidade para trabalhar e apresentando resultado do mandado deles.

JS – Faltam oito meses para terminar o ano, o que a população pode esperar?
AG – Melhorias. Esse ano, como falei, estou muito otimista. Vamos ter muitas obras, estar melhorando as estruturas e infraestruturas das escolas. Recebemos escolas construídas em locais inapropriados, com pisos inadequados, telhados e nem todas conseguimos reformar. Agora estamos focados em dar toda a atenção as escolas que ainda não sofreram reformas intensas, para darmos mais conforto aos professores e alunos. Uniforme novo, cadeira nova, ventilador, ar condicionado, com ensino e merenda de qualidade. Além de muitas opções no contraturno, como o Esporte Educa, que montamos no INEFI, na Rasa, com corrida, natação, futebol, vôlei, basquete, um espaço apropriado para isso. Nós queremos ocupar nossas crianças com coisas saudáveis, bom ensino, para que a gente esteja contribuindo para um futuro próximo muito melhor para a população.

 

Foto: Ronald Pantoja

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here