Viúva, presa e condenada pela morte do milionário da Mega-Sena segue sem herança

A Justiça do Estado do Rio de Janeiro decidiu na última quarta-feira (22) manter a anulação do último testamento de René Senna, morto em Rio Bonito em 2007. O testamento que foi anulado deixava metade da fortuna de René para Renata Senna e a outra metade para Adriana Almeida, respectivamente filha e viúva do milionário.

A decisão mantém outra sentença, de fevereiro deste ano, que já anulava o testamento. O pedido foi feito pelos irmãos de René, que haviam sido excluídos do documento.

Adriana está presa desde 2016, quando foi condenada como mandante do crime. Ela ficou conhecida em todo o país como a “Viúva da Mega-Sena”. Com a nova decisão, ela segue sem direito aos bens de René Senna.

O crime
Na manhã do dia 7 de janeiro de 2007, René estava em um bar sem seguranças, próximo à sua fazenda, quando dois homens encapuzados chegaram numa moto. O carona atirou em René; ele morreu na hora.

As balas acertaram a nuca, a têmpora esquerda, o olho esquerdo e o queixo do milionário. A viúva Adriana foi acusada pela filha e pela irmã da vítima, Renata de Almeida e Jocimar da Rocha, de ser a mandante da execução.

Ex-lavrador, René Senna ficou milionário em 2005, ao ganhar R$ 52 milhões no prêmio da Mega-Sena. Diabético, ele tinha perdido as duas pernas por causa de complicações da doença e morava em Rio Bonito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here