Home Cidades Cabo Frio Advogado de Marquinho Mendes mantêm a tese de que caso ocorra nova eleição em Cabo Frio, o prefeito pode concorrer

Advogado de Marquinho Mendes mantêm a tese de que caso ocorra nova eleição em Cabo Frio, o prefeito pode concorrer

0
Advogado de Marquinho Mendes mantêm a tese de que caso ocorra nova eleição em Cabo Frio, o prefeito pode concorrer
Dr. Carlos Magno

 

“Não sabia que Marquinho era açougueiro não. Sabia que ele era médico”, diz Carlos Magno 

 

Na tarde desta sexta-feira, dia 04, o advogado Carlos Magno concedeu mais uma entrevista exclusiva ao Jornal de Sábado para falar sobre o prefeito de Cabo Frio, Marquinho Mendes.

Confira:

JS – Todos falam que teremos uma nova eleição em Cabo Frio, mas o prefeito Marquinho Mendes diz que confia nos seus advogados.
CM – Eu não cogito novas eleições em Cabo Frio por uma razão muito simples: nossa tese, que foi muito elogiada pelos nossos Ministros e que afirmaram que futuramente poderiam rever a questão. Então com base no julgamento, nós ainda vemos muita chance de tentar rever essa situação. Se isso não acontecer, nós estaremos encaminhando um recurso ao Supremo Tribunal Federal.

JS – Agora, se acontecer uma eleição suplementar, o prefeito pode concorrer?
CM – Eu tenho dito claramente que sim, porque a regra é clara. O prefeito não deu causa na unidade do pleito, tanto não que se ele não renunciasse ao cargo de deputado federal, ele estaria hoje na Câmara. Essa decisão não o atingiria, porque o registro de candidatura dele, com essa condenação, foi deferido pelo TRE e TSE, então, ele tinha certeza que renunciando o mandato de deputado, ele poderia ser candidato a prefeito. E essa certeza quem deu a ele, foram dois tribunais. Tenho dito e reafirmo de que ele não deu causa. Marcos da Rocha Mendes subiu para o TSE com recurso deferido, não com liminar. Se ele não deu causa, ele está elegível, porque inelegibilidade terminou três dias depois na eleição. E por três dias ele está com o mandato dele hoje de prefeito cassado. Mas se continuasse como deputado, ele estaria na Câmara Federal.

JS – E o que influencia a votação no Supremo com relação ao foro privilegiado?
CM – Nada. As pessoas fazem uma confusão muito grande. O processo de Marquinho com relação com foro, inclusive a gente fez a sustentação e na época eu disse que ia dar problema. Não tem como o Supremo tecer as minúcias de cada caso. O processo do foro de Marquinho é impressionante. É um processo em que a oposição fez uma denúncia de que ele estava distribuindo carne no dia da eleição, nunca vi isso. E na instrução, ficou provado que era tudo montado pelos opositores, inclusive as pessoas afirmam que assinaram essas denúncias sem ler. E esse processo não interfere em nada, vai descer para Cabo Frio e ele vai ser absorvido porque não praticou esse fato. Não sabia que Marquinho era açougueiro não. Sabia que ele era médico.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here