Desabastecimento segue atingindo mercados de Cabo Frio nesta sexta-feira

0
340

Mesmo com os acordos entre representantes dos caminhoneiros e dos governos federal e estadual do Rio de Janeiro para suspender a greve, na noite de quinta-feira, dia 24, cidades ainda têm falta de combustíveis líquidos neste quinto dia de manifestações da categoria contra a alta do diesel e mercados seguem sem produtos.

O Jornal de Sábado percorreu três mercados em Cabo Frio, na manhã desta sexta-feira, dia 25, e constatou a falta de produtos e alta dos preços.

Nos três mercados faltam frutas, legumes e verduras, principalmente.

Procon de Cabo Frio alerta para cobranças abusivas

A greve dos caminhoneiros que começou na última segunda-feira (21) já está afetando postos de combustíveis e prateleiras de supermercados. Mas não é só com a falta de produtos: a alta nos preços da noite para o dia, em proporções alarmantes, também está afetando o consumidor. Sobre isso, o Procon de Cabo Frio faz um alerta: levar vantagens sobre o consumidor é prática abusiva, vedada pelo Código de Defesa do Consumidor.

“Estamos acompanhando de perto todas as notícias sobre a greve dos caminhoneiros e o desenrolar dela relacionado ao aumento abusivo tanto no preço do combustível quanto nos alimentos. A Lei N° 8078/90, que dispõe sobre os direitos do consumidor, diz, em seu artigo 39, incisos V e X, que é proibido exigir do consumidor vantagem claramente excessiva, sendo também vedada a elevação, sem justa causa, do preço de produtos ou serviço”, alertou Thiago Vasconcelos, supervisor do Procon de Cabo Frio.

Ele informa, ainda, que o órgão está nas ruas fiscalizando e averiguando diversas denúncias sobre aumentos abusivos nos preços para que a lei seja cumprida. “Importante lembrar que o estabelecimento que estiver descumprido a Lei poderá sofrer sanções que vão de multa até a interdição total de suas atividades, podendo, ainda, o infrator responder por crime contra economia popular, com pena de detenção, de dois anos a 10 anos de detenção, além de multa (lei nº 1.521/1951)”, informou Thiago, lembrando que dúvidas e denúncias podem ser apresentadas na sede do órgão, na Rua Florisbela Rosa da Penha, 282, Braga (antiga Prefeitura), de segunda a sexta, das 09h às 17h.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here