Leandro Cunha afirma que quer ser a voz da independência desse grupo político que se instalou em Cabo Frio

0
202
Leandro Cunha e Professor Betinho (PSOL)

Nesta sexta-feira, dia 08, a Rádio Litoral FM, no Programa Bom Dia Litoral, entrevistou o candidato a Prefeitura de Cabo Frio, nessa eleição suplementar, Leandro Cunha (PSOL).

 

Habilita a ser prefeito

“Precisa ser feito um contexto. Nós não nos vimos representados por nenhum dos candidatos naquela oportunidade e resolvemos sair com candidatura própria. Eu e o professor Betinho fomos convidados e resolvemos aceitar o desafio. Sou administrador público desde 2001, sou funcionário da Petrobras também. Estou acostumado a lidar com a coisa pública, sei o mecanismo da máquina e acho que posso contribuir para a nossa cidade, nesse momento crítico”.

 

Saúde

“A gente entende que hoje existe um loteamento. Na administração pública em geral, o

“Queria me dirigir a aquelas pessoas que pensam em não votar, levem a sua indignação as urnas”, pede Leandro

cidadão precisa pedir favor a um vereador, uma pessoa da administração, para conseguir um favor neste setor. Na saúde existe uma fila que ninguém sabe a demanda. Vamos dar transparência na demanda, na marcação de consultas, serviços públicos da cidade. Acho que é extremamente necessário, tem explosão de gasto público e a receita não acompanha. Primeira coisa é transparência, medidas emergenciais. Um atendimento básico de saúde tem que ser priorizado. As UPAs tem que funcionar adequadamente, fazer uma integração entre os hospitais. No sistema de saúde, falta coordenação”.

 

Educação

“A gente quer organizar a Educação. Queremos compromisso com os profissionais, quitar as pendências que a administração pública tem com eles. Olhar os contratos que essas casas têm para servir como escola. A tendência é que passemos para prédios próprios, contudo, num mandato de dois anos, seria até meio impossível de fazer, mas queremos prédios alugados apropriados. Defendemos uma escola integral, que o aluno tenha atividades culturais e  esportivas. Melhorar a qualidade de merenda escolar. Aparelhar as escolas, pois hoje estão sucateadas. Ou seja, vamos ter que passar um pente fino nas questões contratuais e fazer com eu os prédios funcionem”.

 

 

Estrutura Financeira

“Analisando as contas que conseguimos permear, percebemos que houve uma queda na arrecadação, mas não foi tão calamitosa. Mas a explosão do gasto sim. Um aumento de despesa de 90% e a receita não acompanhou. A receita estava superestimada e teve uma frustração, não tomou medidas para desinchar. Entendemos que a folha é uma das questões, existem servidores que estão lá e não trabalham efetivamente. Esses estarão fora automaticamente. E os outros que estão trabalhando, vamos realocá-los. Uma questão importante são as indicações, eu vou trabalhar com o desinchar. Não vou caçar as bruxas, mas as indicações, os cargos, terão que ser coerentes as funções. Que possamos oxigenar a receita do município”.

 

Turismo

“Sem turismo, vamos definhar. Não é esse quadro que está instalado no município de veranista que queremos. A política de turismo tem que ser permanente, para se tornar econômica de fato. Então, se não aliarmos e criarmos uma cultura empreendedora de projetos culturais, esportivos, ecológicos, nunca conseguiremos ter um efetivo econômico para gerar empregos que a cidade precisa”.

 

Recado

“Queria me dirigir a aquelas pessoas que pensam em não votar, levem a sua indignação as urnas. Que nós possamos ter a voz de independência desses grupos que querem se perpetuar no poder. Queremos um governo participativo”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here