Professor perde relógio inteligente em alto-mar em Búzios e é surpreendido com mensagem de pescador para devolvê-lo

0
5793

Um professor de Praia Grande, no litoral de São Paulo, foi surpreendido por um ato de generosidade ao receber uma mensagem pelas redes sociais de uma pessoa que encontrou o smartwatch dele em alto-mar em Búzios (RJ).

Jefferson Rocha, de 36 anos, disse que perdeu o objeto quando foi mergulhar durante um passeio de escuna que fazia no local.

Rocha e outros colegas da escola onde trabalha resolveram fazer um passeio de cruzeiro. No dia 18 de março, a embarcação fez uma parada em Búzios, onde eles fizeram um passeio de escuna. “Na hora que fui mergulhar, meu relógio caiu na água, soltou do meu pulso e eu simplesmente perdi as esperanças”. 

Ele acredita que perdeu o relógio por conta da força da água. “Abaixei uma profundidade, soltou e não tive chance de ficar procurando. Mergulhei e fiquei com a cara triste e subi na escuna de novo”, conta ele. 

Para o professor, naquele momento, o passeio acabou. “Fiquei desanimado. Esse relógio tem GPS, é resistente à água. Não sabia que era tão resistente. Durante o passeio todo e até voltar para o navio eu conseguia ver a localização e ele estava no meio do mar, ainda ligado”.

Os amigos desembarcaram em Santos por volta das 9h do dia seguinte, mas o aparelho apresentava que estava desligado. O que Rocha não esperava é que receberia uma notificação de que o relógio havia sido ligado novamente. “Achei impossível porque estava embaixo da água. Olhei e ele estava em uma rua em Búzios”.

O professor contou que ativou uma opção chamada ‘modo perdido’ e colocou algumas informações pessoais dele. No dia seguinte, Rocha foi surpreendido com uma mensagem de Angelinna Bottinelli, de 16 anos, no Instagram.

Após isso, Rocha passou a conversar com o pescador e mergulhador Benoni Antônio Filho, o Cuca, de 50 anos, e combinou o processo de devolução por transportadora. “Hoje em dia é tudo difícil. Quando as pessoas acham alguma coisa e o dono vai atrás geralmente querem um valor, alguma coisa em troca ou não devolvem, não entram em contato”. 

Ele ressaltou que o relógio foi devolvido e está funcionando em perfeitas condições. “Voltei a usar. Estou impressionado pela generosidade que ele teve, a honestidade de devolver o relógio sem esperar nada em troca. Isso é difícil da gente ver nas pessoas. O mais impressionante é que ele achou no mar, é quase impossível. Não acreditei”.

Honestidade

Benoni disse que cuida de um parque de corais há mais de 20 anos e que sempre sai em busca de objetos perdidos para devolvê-los posteriormente. “Mandei um iPhone para o dono lá para o Chile. Sempre faço essas ‘paradas’ assim, graças à Deus”. 

Ele afirmou que saiu para mergulhar na manhã de 19 de março e encontrou o relógio de Rocha, mas que acreditou que o objeto não estaria funcionando. “Como minha filha tem um desse, dei para ela carregar, ver se funcionava. Ela colocou para carregar, falou que estava desbloqueado, que dava para devolver e ela mesmo entrou em contato”. 

De acordo com o pescador, ele começou a conversar com o dono do objeto para devolver o acessório. “Fiz com que minha filha fizesse toda tramitação da devolução, para que ela aprendesse também o lance da honestidade, de como a gente tem que ser com a pessoa, com o próximo. Ela curtiu bastante”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here