Equipes da Vigilância em Saúde Ambiental realizam desinfecção e combate às arboviroses em Cabo Frio

Agentes de endemias da Vigilância em Saúde Ambiental da Prefeitura de Cabo Frio atuam na sexta (22) em ao menos seis bairros e em Tamoios na prevenção e combate às arboviroses, que são dengue, zika, chikungunya e febre amarela. Todas são doenças transmissíveis pelo mosquito Aedes aegypti. Ao longo desta semana, a equipe também realizou a desinfecção de vários locais no município.

Os bairros que receberão a visita dos agentes são Guarani, Reserva do Peró, Boca do Mato e Peró, bem como em Samburá e no Gargoá, no segundo distrito. As equipes vão operar na eliminação, tratamento e prevenção de focos do mosquito com uso de larvicida em terrenos baldios, canteiros de obras e residências, além de realizarem ação educativa sobre medidas de higiene e cuidados em geral contra a covid-19.

Esta semana, a desinfecção para o combate ao coronavírus foi realizada nos bairros Jardim Excelsior, Parque Burle, Jardim Pero, Boca do Mato, Centro e Unamar, Vila Nova, na sede da Guarda Civil Municipal, em Tamoios e no Conselho Tutelar do distrito. Também foram higienizados com solução de hipoclorito a 1% as Secretarias de Obras e de Assistência Social; as Coordenadorias-Geral de Habitação e de Serviços Públicos, além da sede do Procon e o Terminal de Transatlânticos, entre outros pontos.

SOBRE AS ARBOVIROSES

[Fonte: Ministério da Saúde]

Arboviroses são doenças causadas pelos arbovírus, que incluem o vírus da dengue, da febre chikungunya, da zika e da febre amarela. A cada ano, mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo são infectadas e mais de um milhão morrem por doenças transmitidas por mosquitos, moscas, carrapatos e outros vetores.

Estas doenças não passam diretamente de uma pessoa para outra, são transmitidas geralmente por insetos, responsáveis pela veiculação biológica de parasitas e microrganismos ao homem e a animais domésticos. No Brasil, inúmeras doenças são transmitidas por vetores com destaque para dengue, malária, doença de Chagas e leishmaniose.

Mudanças ambientais, aumento substantivo de viagens e do comércio internacional, mudanças nas práticas agrícolas e uma rápida urbanização não planejada estão causando aumento no número e na disseminação de muitos vetores em todo o mundo e tornando novos grupos de pessoas vulneráveis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here