Melhor em Casa e UPA Pediátrica de São Pedro da Aldeia alinham estratégias para desupalização de pacientes

As equipes do programa Melhor em Casa e da UPA Pediátrica de São Pedro da Aldeia alinharam estratégias para a desupalização de pacientes internados na unidade. A medida visa à assistência realizada por profissionais fora do ambiente hospitalar, proporcionando acolhimento mais humanizado aos munícipes e aumento do fluxo de atendimentos na cidade.

O encontro aconteceu na tarde desta terça-feira (18). Estiveram presentes o coordenador da Atenção Domiciliar, Junior Curcino; a administradora da UPA, Elziane Ribeiro Batalha; a médica Cristina Vianna; a assistente social, Rita Ventura; a coordenadora de Enfermagem, Elenice Souza, o enfermeiro Ednei de Souza, e os técnicos de Enfermagem Vander Alexandre e Thiago Brasil.

Segundo a Portaria 285 do Ministério da Saúde, de 05 abril de 2016, que rege o Programa Melhor em Casa, a desospitalização e a desupalização é preconizado para ajustes dos aumento disponibilidades de leitos, o fortalecimento dos vínculos familiares, além de evitar possíveis agravamentos e infecções causadas pelo ambiente hospitalar.

Na UPA Pediátrica, o fluxo de atendimento de desupalização se dará de forma dinâmica, por meio de grupo de WhatsApp, com a solicitação da unidade para avaliação do usuário pela equipe multiprofissional do Melhor em Casa. A partir daí, sendo o paciente elegível ao programa, será cadastrado para acompanhamento e todo suporte do Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD) do município.

“Unir forças junto ao Programa Melhor em Casa nos permite fornecer aos nossos pacientes a continuidade de tratamento em seu município de origem. As famílias das crianças que atendemos terão um ganho assistencial de qualidade, prezando sempre pela segurança do paciente no conforto do lar, o que para a família, socialmente, não tem preço”, relatou a Administradora da UPA, Elziane Ribeiro Batalha.

Segundo o coordenador da Atenção Domiciliar, Junior Curcino, o objetivo dos setores da saúde do município é humanizar o atendimento, além de oferecer conforto aos aldeenses que podem ser acompanhados em domicílio. “Entendemos que a desupalização deve ser precoce, porém segura. Num momento de pandemia, no qual os laços são totalmente rompidos, nós trazemos de volta esses vínculos”, disse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here