Ação em prol do “Setembro Amarelo” discute prevenção do suicídio em São Pedro da Aldeia

A diretora do Programa de Saúde Mental de São Pedro da Aldeia, Rosemary Calazans Cypriano, e a coordenadora do Centro de Atenção Psicossocial Infanto-juvenil, Renata Alves, realizaram nesta quarta-feira (26) uma palestra em prol do “Setembro Amarelo”, voltada à prevenção do suicídio. O evento foi uma iniciativa dos alunos do Colégio Estadual Dr. Feliciano Sodré, localizado no Centro da cidade, e reuniu cerca de 70 estudantes do 1º, 2º e 3º ano do curso normal.

A diretora do Programa Municipal de Saúde, Rosemary Calazans Cypriano, enfatizou que o objetivo era promover uma grande roda de conversa com os alunos. “Nós costumamos dizer que na escola é onde a criança pipoca e mostra o que muitas vezes não consegue ser visto dentro de casa. Se o educador puder perceber algum sinal ou sintoma de que a pessoa talvez não esteja bem e, a partir da escuta, fazer um acolhimento e um encaminhamento para a rede de saúde, nós poderemos promover uma ação mais integralizada e atuar junto a pessoas que têm esse sofrimento, que pode ser repetido e levar, muitas vezes, a óbito. É importante falar com esse público de adolescentes e jovens adultos, que estão na formação para serem professores e estarão atuando em sala de aula em breve, para que eles conheçam um pouco mais sobre o assunto e saibam da importância que é observar, dar atenção e permitir que essas pessoas falem um pouco mais sobre o seu sofrimento”, salientou.

A professora de Práticas Pedagógicas da unidade estadual, Telma de Jesus, abriu a programação do dia com a leitura de uma mensagem enviada pela diretora do Colégio, Cintia Soares, que não pode participar do evento devido à rotina escolar. Após apresentação, a diretora do Programa de Saúde Mental, Rosemary Calazans Cypriano, e a coordenadora do Centro de Atenção Psicossocial Infanto-juvenil, Renata Alves, deram início à palestra solicitando que os alunos escrevessem, anonimamente, suas dúvidas sobre o suicídio em um papel. As perguntas dos estudantes nortearam a palestra e complementaram os slides sobre o tema, tornando a abordagem mais dinâmica.

De acordo com a professora de Práticas Pedagógicas do Colégio, Telma de Jesus, o tema foi indicação de uma das alunas do curso. “Estamos em um evento que se chama ‘Tema em Debate’, que é um projeto do 3º ano do curso normal em que escolhemos um tema de relevância para discutirmos juntos. O ‘Setembro Amarelo’ foi uma temática sugerida por nossa aluna Aline e toda a turma abraçou a ideia. A questão do suicídio está presente em nossas salas de aula, então é muito importante falarmos sobre isso”, afirmou.

O encontro buscou definir os conceitos de suicídio, comportamento suicida e tentativa de suicídio. A palestra esclareceu questões como público vulnerável, fatores de risco, os sinais, sintomas e alertas verbais, a importância da empatia e de não minimizar o sentimento do outro, da fala e da escuta, os tratamentos, intenção e internação, casos vulneráveis, momentos de crise e pedidos de ajuda, além de relatos comuns de usuários com pensamentos suicidas. Com metodologia participativa, o evento criou um ambiente confortável para que os alunos pudessem compartilhar suas experiências pessoais.

Aluna do 3ª ano, Marcela Castro foi a organizadora da iniciativa e teve a oportunidade de compartilhar sua experiência. “As pessoas ainda acham que o suicídio é drama ou um charme, mas não é. É algo muito sério e que precisa ser conversado. Conforme nós vamos falando sobre o assunto, os adolescentes conseguem se abrir mais e se expressar melhor sobre essa dor”, comentou.

Na oportunidade, as profissionais da Secretaria Municipal de Saúde destacaram a existência de uma rede de Saúde Mental no município, com ênfase no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), que atende adultos, e do CAPSi, voltado ao atendimento de crianças e adolescentes, pontuando a importância da ajuda especializada e o papel dos equipamentos na prevenção do suicídio. A apresentação perpassou também os temas de automutilação e depressão, além de esclarecer mitos e verdades que desconstroem o entendimento que o senso comum possui acerca do ato suicida.

A professora Telma de Jesus encerrou o encontro com a dinâmica “Flores do Jardim Encantado”, que entregou flores coloridas aos participantes da iniciativa. De acordo com as cores das flores, os alunos distribuíram apertos de mão, palavras de incentivo, beijos e abraços aos colegas. Vale destacar que o Ministério da Saúde preconizou o “Setembro Amarelo” como o mês de conscientização sobre a importância da prevenção do suicídio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here