PF prende sócio de Glaidson após STJ revogar prisão domiciliar 

A Polícia Federal (PF) prendeu, na noite desta segunda-feira (4), Tunay Pereira Lima, sócio de Glaidson Acácio dos Santos, o “faraó dos bitcoins”. 

O esquema do qual Tunay é suspeito de participar, e que Glaidson segundo as investigações estava à frente, movimentou pelo menos R$ 38 bilhões por meio de uma empresa suspeita de aplicar o golpe conhecido como “pirâmide” financeira. 

A G.A.S. Consultoria Bitcoin, onde Tunay era sócio de Glaidson, prometia 10% de lucro em investimentos de clientes no mercado de criptomoedas. 

Em agosto do ano passado, a ”Operação Kryptos”, do Ministério Público Federal (MPF) e da PF desmantelou o esquema e prendeu suspeitos de integrarem o grupo criminoso.

Ministro revoga prisão domiciliar

A prisão de Tunay foi possível após o ministro Jesuino Rissato, relator do caso no Superior Tribunal de Justiça (STJ), revogar a prisão domiciliar do suspeito. 

A ordem concedendo uma alternativa à cadeia foi concedida, em janeiro, pelo presidente do tribunal, ministro Humberto Martins. 

Ao derrubar a prisão domiciliar, Rissato levou em conta que as atividades da G.A.S – de Tunay, Glaidson e outros – causaram “enorme abalo à ordem pública e intranquilidade social”.

O magistrado também cita “malas de dinheiro” com moeda estrangeira encontradas na casa de Tunay na época em que a operação que levou Glaidson para a cadeia foi deflagrada.

Tunay foi encontrado e detido pelos policiais em casa, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here